Obs.: você está visualizando a versão para impressão desta página.
Voltar ao topo.Ver em Libras.

Prefeitos de Municípios da região se reúnem para debater a não extinção da 144ª Zona Eleitoral.

« Mais recente🔀🛈Categoria:Geral
ImprimirReportar erroTags:tem, eles, ser, eleitoral, fazer, cidades e número316 palavras3 min. para ler

Aconteceu ontem, 05, no Gabinete do Prefeito, uma reunião, a fim de se discutir o impacto que a Resolução 23.422/2014, do TSE, causará nos municípios atingidos com as mudanças impostas. Além do Prefeito de Planalto, participaram do encontro prefeitos dos municípios vizinhos, Alpestre e Ametista do Sul.Com base nos critérios estabelecidos, no Rio Grande do Sul, seria extinta a zona eleitoral estabelecida hoje no Município de Planalto.
Entre outras justificativas, os prefeitos observam que haverá acúmulo de demandas nas zonas que irão incorporar as extintas, além do fato de se ampliar o número de processos, de eleitores e candidatos nessas unidades, que deverão ser atendidos pelo mesmo promotor e juiz.
Além do mais, eles acreditam que a medida dificultará ainda mais para o eleitor residente nas pequenas cidades do interior o acesso à Justiça Eleitoral.
Particularmente, o Prefeito Tonho Damin, critica as mudanças impostas pelo órgão. "Eu considero que a decisão do TSE, dessa nova distribuição de zonas eleitorais, é um desrespeito, principalmente com os municípios da nossa região, sem falar à fórmula que eles utilizaram para fazer esses fechamentos de cartórios eleitorais, essas mudanças, são totalmente desproporcionais. Eles usaram o critério da densidade eleitoral que gerou determinados absurdos”.
Tonho Damin acredita que a partir da reunião que os prefeitos terão na próxima semana, na Capital, haverá um contraponto a partir da elaboração de um documento cujo objetivo é reverter à decisão.
"Acho que tem que ser reavaliada, essa forma que eles querem fazer. Se você quer diminuir as zonas eleitoras, a lógica seria cidades que têm um número de habitantes pequeno, talvez, se juntar as cidades com número maior. Mas também tem que ser levada em consideração a distancia. Acho que acima de 50 quilômetros de distancia de um município você tem que ter uma zona eleitoral. Não tem como fazer esse deslocamento, pontuou, ao considerar uma determinação equivocada e sem ser discutida.
Por: Assessoria de Comunicação.

Estão presentes em Planalto:
Guardamos estatísticas de uso e utilizamos cookies para melhorar a sua experiência. Saiba mais em nossa política de uso.